UNIFACS recebe Oliver Stuenkel para lançamento de livro sobre o Mundo Pós-Ocidental

UNIFACS recebe Oliver Stuenkel para lançamento de livro sobre o Mundo Pós-Ocidental

O doutor em Ciência Política pela Universidade de Duisburg-Essen, na Alemanha, falou sobre o panorama político atual para os alunos de Relações Internacionais

Por Edson Moreira Júnior, estudante de Jornalismo da Unifacs e repórter da Avera Agência de Notícias

A ascensão da China e de países asiáticos emergentes foi o principal tema abordado pelo professor de Relações Internacionais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Oliver Stuenkel, durante a palestra de lançamento do seu livro em edição brasileira “O Mundo Pós-Ocidental: potências emergentes e a nova ordem global”. O evento ocorreu no auditório do CTN, na manhã do dia 4 de setembro, e contou com a parceria com o Núcleo de Práticas em Economia e Relações Internacionais (NERI) e o MBA em Negócios Internacionais e Riscos Políticos da Unifacs.

Durante a palestra, Stuenkel disse que a influência da China na América Latina vem crescendo nos últimos anos e que o Brasil deve se adequar a isso, desenvolvendo uma carreira específica para alguns diplomatas, para que aprendam o mandarim e a cultura chinesa. O palestrante, que também é professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), também ressaltou que o apoio das universidades e a promoção do debate pela mídia são importantes para que o Brasil se adeque à nova realidade. Segundo ele, os atuais diplomatas brasileiros não são treinados como os russos, que já começam a estudar a língua e a cultura dos países onde querem trabalhar.

Em seu livro, Oliver Stuenkel mostra o crescimento das potências emergentes do BRICS e faz uma análise das dinâmicas desses países que podem moldar o campo político nos próximos anos. Perguntado sobre o tema do livro, e o que levou a escrevê-lo, Oliver afirmou que o deslocamento econômico e político da Ásia vai trazer grandes mudanças, mas também oferece muitas oportunidades, inclusive para o Brasil. Por isso, é preciso promover um debate público mais amplo sobre o tema para de fato poder articular uma estratégia sofisticada para lidar com essas mudanças que terão impacto profundo sobre o dia a dia da população.

Presente no evento, o coordenador do Curso de Relações Internacionais da Unifacs, Milton Mello, disse que dentro da agenda da Unifacs está a ideia de contribuir para uma discussão mais ampla sobre as Relações internacionais, englobando não apenas aqueles temas tradicionais, como a política externa brasileira e relações com os Estados Unidos e a Europa, mas temas contemporâneos em relação aos países emergentes, como a China e a Índia, e o mundo pós-ocidental.


ane.milena