2944Para marcar o encerramento do primeiro semestre do Mestrado em Direito, Governança e Políticas Públicas da UNIFACS, a ex-ministra e Jurista Eliana Calmon foi a convidada especial para debater sobre “O Combate a Corrupção e a Legislação Brasileira.

O evento, que foi realizado no dia 25/07, no auditório do Campus de Pós-graduação da UNIFACS, no Stiep, em Salvador teve como público alvo estudantes de Mestrado e Pós-graduação em Direito. Na ocasião a ex-ministra abordou exemplos fáticos e falou sobre aplicabilidade da lei para o tema proposto.

Para o coordenador do mestrado, Professor Carlos Costa Gomes, a presença da ex-ministra, que também fez a palestra de lançamento do curso, é enriquecedora, por se tratar de uma das primeiras juristas a combater a corrupção no país.

“Eliana Calmon é muito significativa para nós, porque se trata de uma personalidade que colocou toda a sua experiência de vida no combate à corrupção quando isso ainda não era moda. Isso tem tudo a ver com políticas públicas, de como podemos planejar políticas para que todos os objetivos sejam atendidos com o máximo de eficácia do estado brasileiro”

DSC_0899

Para Eliana Calmon, o debate sobre a corrupção é necessário e inaugura uma nova fase para o povo brasileiro.

“A corrupção é histórica, desde o descobrimento do Brasil temos essa história de o fator político preponderar e isso não é fator político, isso é corrupção. Essa corrupção foi chegando a um ponto máximo de deixar os corruptos obnubilados, de não prestarem atenção que o mundo mudou e o Brasil passou a mudar a partir da constituição de 1988. Eu entendo que o Brasil está em um patamar de evolução por mais que estejamos em dificuldades eu entendo que estamos passando por um momento histórico importantíssimo. Quando passarmos tudo isso, a lava jato fará uma limpeza e não seremos os mesmos”.

Ildete de Jesus Andrade, graduada em Psicologia e uma das alunas do curso escolheu fazer o Mestrado em Direito, Governança e Políticas Públicas pelo seu caráter interdisciplinar e formato inovador.

“Escolhi fazer o mestrado justamente por ser interdisciplinar e por trabalhar a esfera pública, quem e interessa muito. O primeiro semestre foi muito desafiador, porque a adaptação ao curso é intensa, pois a literatura é diferente do que a que estou acostumada e muito densa. A sensação é de que o curso foi muito bem planejado, o que você via em cada disciplina foi se unindo no final do semestre para a construção de um pensamento único. Eu acho que o país está passando por uma fase muito enriquecedora, na qual leremos mais tarde. Estar participando e ouvindo os vários atores envolvidos no processo é muito enriquecedor”, completa a estudante.