O papel da Universidade na comunidade

O papel da Universidade na comunidade

Por Marcia Barros – Reitora da Universidade Salvador – UNIFACS

Aproximar as universidades da comunidade onde estão inseridas é o principal objetivo da extensão que, junto com a pesquisa e o ensino, formam o tripé da educação superior. A extensão possibilita que as universidades olhem para além dos seus muros e construa pontes com a comunidade, estabelecendo laços e fortalecendo-os.

Em agosto, a UNIFACS completa 47 anos compreendendo a extensão como forma de contribuir para o desenvolvimento regional. Com atuação em Salvador e em Feira de Santana, são mais de 90 projetos, atendendo mais 130 mil pessoas. Só em 2018, foram 38.680 pessoas beneficiadas com as ações, 8.373 estudantes de diferentes cursos envolvidos e 35 instituições beneficiadas em 53 bairros na capital baiana e 13 em Feira de Santana.

Para impactar positivamente uma comunidade, um programa de extensão deve estar apoiado em alguns princípios básicos como a igualdade de direitos, a pluralidade, a solidariedade, a adesão à causa do outro, o respeito mútuo e a interlocução com a sociedade. É importante que sua prática esteja guiada pela busca de respostas para as principais questões que inquietam a sociedade, sejam elas sociais ou ambientais, e a efetivação dos direitos humanos. Ao envolver os alunos, a extensão comunitária contribui para a formação de profissionais tecnicamente competentes e eticamente comprometidos com um mundo mais justo e igualitário.

Por meio da extensão, a UNIFACS também busca participar da Agenda 2030, movimento global capitaneado pela Organização das Nações Unidas (ONU), a partir de ações que se alinham com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Para tanto, as iniciativas da Universidade procuram reforçar a Política de Responsabilidade Social, dividindo-se em quatro eixos principais. O primeiro está relacionado à responsabilidade social, economia solidária e inovação; o segundo, voltado para sustentabilidade e meio ambiente; o terceiro, enfoca saúde, qualidade de vida e bem-estar; e o quarto, se dedica a direitos humanos, cidadania, diversidade e inclusão.

Também integram as ações extensionistas da Universidade o Núcleo de Práticas Jurídicas, que presta atendimento gratuito à população em demandas dessa área; o Núcleo de Estudos e Práticas Psicológicas, que oferta serviços de psicologia clínica e organizacional à comunidade; o Núcleo de Práticas e Orientações Socioassistenciais, voltado para assistência social e ampliação da cidadania; e o Centro de Empreendedorismo e Inovação, que fomenta a cultura empreendedora na sociedade.

Acreditamos na força da Universidade para transformar a realidade à nossa volta e promover o desenvolvimento local. É com esse pensamento que chegamos até aqui e que nos preparamos para o futuro.


maira.cortes