Evento da UNIFACS discute “Racismo recreativo e o privilégio branco sob a perspectiva socioeducativa”

Evento da UNIFACS discute “Racismo recreativo e o privilégio branco sob a perspectiva socioeducativa”

Em uma iniciativa conjunta, os cursos de Pedagogia, Serviço Social, Gestão de Recursos Humanos e a Pós-Graduação em Educação realizarão, no dia 19 de abril, às 19h, uma aula especial “Sobre Mi Mi Mi: Racismo recreativo e o privilégio branco sob a perspectiva socioeducativa”. O evento acontecerá em formato online, pelo Blackboard, e integra o plano de ação dos cursos para discutir Temas Transversais na formação dos profissionais, que compõem as discussões abordadas no ENADE para alunos de Graduação.

A discussão será mediada pelo Coordenador do curso de Pedagogia, Gestão de RH e Pós-Graduação em Educação, Prof. Antonio Gouveia, e pela Coordenadora do curso de Serviço Social e Presidenta do Conselho de Respeito à Diversidade, Cultura da Paz e Direitos Humanos da UNIFACS, Profa. Suzana Coelho. Como convidados, participarão do diálogo a influenciadora digital Chef Lili Almeida, o Prof. Walter Oliveira Pinto Júnior e a assistente social Janaína Candeias.

“Vimos, nos últimos dias, alguns acontecimentos na mídia que mobilizaram a todos, envolvendo situações de racismo. É sempre necessário fomentar discussões sobre este tema na Universidade. A Educação tem papel fundamental na formação de valores e na conscientização dos sujeitos para o respeito e entendimento sobre as diferenças. Nosso papel é promover cenários eminentemente inclusivos e acolhedores para todos”, ressalta o Prof. Antonio Gouveia. A Profa. Suzana complementa, destacando que “A omissão é uma forma de racismo. A negação de que existe o preconceito é uma forma de racismo. A indiferença é uma forma de racismo. A relativização da dor do outro é uma forma de racismo”.

 Sobre os convidados:

Lili Almeida:

Integrante do Reality Mestre do Sabor 2020 (Rede Globo). Chef de cozinha e comunicadora baiana. Participou do Reality Show “Mestre do Sabor”, na Rede Globo, em 2019. Trabalhou ao lado de grandes chefs, em diferentes funções de cozinha, mas foi como aluna do Museu da Gastronomia Baiana que se enxergou como produtora de cultura. Ali, além de desenvolver técnicas culinárias, teve acesso a livros com informações libertadoras e, então, criou o projeto AFRIKANABAHIA, que usa o acarajé como ponto de partida para contar histórias sobre a mulher e a cultura afro-brasileiras. É chef da Casa Dona Lili, restaurante onde serve criações autorais, e lidera a “Lili Almeida”, empresa que abraça projetos como o “Aula-tour na Feira de São Joaquim”, além de ministrar aulas de cultura e culinária afro-brasileiras.

 

Walter Pinto Júnior:

Gestor público, professor, ativista dos diretos humanos. Mestre no Programa de Desenvolvimento e Gestão Social (CIAGS/UFBA), Especialista em Gestão de Políticas Públicas de Gênero e Raça (NEIM/UFBA), graduado em Gestão Pública pela Escola de Administração (UFBA). Atua como Gerente Central de Projetos, na Prefeitura de Salvador. Coordenador da Projeto Gênero, Travessias, Etnicidades e Sexualidades – PROGENTES/UFBA  e Mentor do Núcleo de Estudantes Negras/os de Medicina da UNIFACS – REPRESENTA. Presidente do Conselho Municipal de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT+ de Salvador e membro do Programa de Combate ao Racismo Institucional – PCRI.

 

Janaína Candeias:

Técnica em Dança, Bacharela em Serviço Social e integrante do Coletivo Bote Fé.

Compartilhar

Falar via WhatsApp Fale via WhatsApp