Camerata da Orquestra Sinfônica da Bahia se apresenta em evento que une arte e educação na UNIFACS

Camerata da Orquestra Sinfônica da Bahia se apresenta em evento que une arte e educação na UNIFACS

Na próxima quinta-feira, 18 de abril, às 19h, a Camerata Quadro Solar da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) se apresenta no Campus Lapa da UNIFACS, em Salvador. A apresentação faz parte das atividades do Projeto “Enfrentamento ao Racismo Epistêmico”, mantido pelo grupo de Pesquisa “Políticas Afirmativas na Educação”, do curso de Pedagogia da Universidade.

O objetivo é despertar por meio da arte um novo olhar para as questões de raça e gênero no exercício pedagógico. “Queremos a partir de atividades como essa dialogar com novas possibilidades de metodologia que insiram o nosso patrimônio afro-brasileiro, a questão das mulheres e das populações quilombolas”, destaca a professora Rosângela Accioly, uma das idealizadoras da ação.

Quadro Solar_OSBA_jan 2018 - Foto Gabriel Camões 01Com repertório que mescla música erudita e popular e execuções a partir de instrumentos como flauta, violino e violoncelo, a apresentação da Camerata da OSBA será uma forma de mostrar aos estudantes a importância das linguagens artísticas e culturais no despertar da Pedagogia. “A arte funciona como um incentivo ao pedagogo, um fio condutor para aproximação dos valores civilizatórios e afro-brasileiros no currículo escolar”, acrescenta Rosângela.

Formada em 2001, a Quadro Solar atualmente é composta por Andréa Bandeira (flauta), Mário Gonçalves (violino) e Djalma Nascimento (violoncelo) e faz parte do projeto Camerata para Todos, da Orquestra Sinfônica da Bahia – OSBA, uma iniciativa da Secretaria de Cultura, através da Fundação Cultural e Teatro Castro Alves, que tem como objetivo aproximar o grande público da música erudita, promovendo a formação de plateia.


maira.cortes