Empreendedorismo: Alunos da UNIFACS representam a América Latina em competição

Empreendedorismo: Alunos da UNIFACS representam a América Latina em competição

Um sensor inteligente capaz de facilitar a vida de quem quer cultivar plantas. Essa foi a ideia dos estudantes do Curso de Engenharia Mecatrônica, Brunno Araújo e Lucas Leite, selecionados como finalistas do Prêmio de Empreendedorismo James McGuire. A competição é uma realização da Rede Laureate International, que tem o objetivo de promover e encorajar seus alunos a aprimorarem suas habilidades e conhecimentos na criação de novos modelos de negócios.

Tudo começou quando os estudantes das 70 instituições de ensino, dos 25 países onde a Rede Laureate atua, foram convidados a apresentar as suas propostas de negócio, concorrendo ao prêmio no valor de USD 25.000 para alavancarem o empreendimento. Lucas Leite, que está no último período do Curso de Engenharia, explica a ideia da dupla. “O Leaf é um assistente de jardinagem construído com três sensores inteligentes.  Ao ser instalado, ele monitora a terra, a luminosidade e a umidade da planta”. Para participar do Prêmio, os alunos precisam apresentar o plano de negócios e submeter à Comissão Organizadora, que definiu os finalistas. Os escolhidos apresentaram aos jurados do Prêmio. Brunno e Lucas foram classificados entre os três melhores projetos, os únicos representantes da América Latina na competição.

Brunno Araújo, também formando do curso de Engenharia da UNIFACS, detalha que o foco do negócio está em pessoas que já possuem plantas ou se dedicam a pequenas plantações e desejam otimizar os resultados. “O Leaf trabalha com inteligência artificial e identifica, por exemplo, quando a terra está seca e precisa ser irrigada”, completa. No plano de negócios, os alunos estudaram o mercado, verificaram a viabilidade do produto, os concorrentes, os custos de produção e a manutenção da empresa. Tudo isso para que o produto seja sustentável do ponto de vista da gestão. “Nossa intenção é entregar um produto acessível ao consumidor, que seja atrativo e atenda às expectativas do usuário”. Para a dupla, o mercado brasileiro possui grande espaço para o crescimento da automação e de produtos que apostem na inteligência artificial. “Quem automatiza a irrigação, por exemplo, economiza água e dinheiro. Essa é uma oportunidade de negócio”, avalia Brunno.

Para funcionar, o assistente de jardinagem precisa estar conectado a internet. O Leaf possui uma bateria com duração de um ano. “Ele monitora as condições da planta, como calor, luminosidade e umidade e o usuário vai saber exatamente o que está faltando para o bom crescimento da planta. Toda a interação com o usuário acontece por um aplicativo de celular”, afirma Lucas.

DSC_0418

Oportunidade para empreender

Empreender é uma realidade para Lucas e Brunno, que já fundaram uma empresa de inovações tecnológicas, o Faz Labs. “Além do Leaf, temos muitos outros projetos em nosso banco de ideias. Regularmente, nos reunimos para discutir a viabilidade e as oportunidades de mercado delas para o lançamento”, conta Lucas. Juntos, sempre tiveram uma trajetória acadêmica positiva, conquistado cinco certificados de Mérito Acadêmico.

O trabalho dos alunos teve o apoio da Incubadora de Negócios, coordenada pela professora Evelyn Esteves, e da Agência de Inovação, que são os núcleos apoiadores do Prêmio James McGuire na UNIFACS. “Nós ajudamos os participantes na estruturação do projeto, com o desbloqueio das ideias e incubação. Todos que possuam projetos com elevado grau de inovação e forte impacto competitivo podem empreender”, destaca a professora.

Para ela, a oportunidade de empreender na Universidade é um diferencial para os futuros profissionais. Brunno e Lucas concordam “O empreendedorismo é a saída para a crise. A chance de uma grande ideia sempre vem da inovação”, diz Brunno. Para os outros colegas da Engenharia, Lucas incentiva. ‘Sempre tive a necessidade de investir na minha liberdade criativa.  Nunca quis fazer a mesma coisa todos dias. O valor do meu trabalho está nas minhas ideias”, garante Lucas. “Quando você empreende, consegue investir em talentos e apostar em pessoas boas. Esse é um dos nossos objetivos”, acrescenta Bruno.

 DSC_0420


Igor França