Evento "Patrimônio é... 2018".

Alunos da UNIFACS marcam presença na 3ª edição do projeto Patrimônio É…

A roda de conversa Patrimônio É… entra em sua terceira edição e retoma o bate-papo em 2019, com o tema “Patrimônio Arqueológico: vestígios do passado”, próxima terça-feira (16), às 18h, no Espaço Cultural da Barroquinha.

Patrimônio Arqueológico é a maneira de entender o passado, a formação da humanidade, hábitos e costumes de um povo que vivia em determinado local, bem como outros indícios da evolução do planeta, da vida e dos seres humanos, a partir da montagem de um quebra-cabeça que tem como peças os vestígios arqueológicos.

Por isso, a Prefeitura de Salvador, por meio da Gerência de Patrimônio Cultural (GEPAC), da Fundação Gregório de Mattos, convidou a mestre em arqueologia, Jeanne Almeida Dias; o mestre em Arquitetura – Conservação e Restauro, Luis Gustavo Gonçalves Costa; e o também arquiteto e urbanista, com mestrado em Ciências Sociais (antropologia/arqueologia), Luiz Augusto Viva do Nascimento. A mediação ficará por conta do arquiteto, encenador e dramaturgo Edvard Passos.

Este ano, a GEPAC como novidade, a parceria com a UNIFACS, a fim de promover o intercâmbio de conhecimentos, experiências didáticas e informações na área de Ensino, Pesquisa, Desenvolvimento e Extensão. Durante todo o ano, os estudantes da UNIFACS têm cadeiras garantidas em todas as edições do Patrimônio É… 2019.

Para Cristiane Sarno, coordenadora do curso de Arquitetura da UNIFACS, “a questão da educação patrimonial de que trata o projeto Patrimônio É… é um elemento indispensável à formação de todo arquiteto e urbanista, especialmente em se tratando da cidade de Salvador, detentora de um conjunto de bens culturais portadores de significados e valores essenciais ao desenvolvimento da vida. Por meio dessa parceria com a FGM, o curso de arquitetura e urbanismo da UNIFACS alia teoria e prática, no sentido maior do que vem a ser Viver a Universidade!”.

Milena Tavares, Diretora de Patrimônio e Humanidades da FGM, afirma que “Patrimônio É… uma ação de educação patrimonial que visa cumprir, não apenas o papel de aproximar o soteropolitano com o que vem a ser patrimônio cultural, fortalecer sobre aspectos de identidade e pertencimento, como também colaborar no âmbito da educação acadêmica, com o propósito de mostrar um panorama real, despertando não apenas o conhecimento nos alunos, como tocando o cidadão que existe ali, também”.

Patrimônio É…
Projeto do Salvador Memória Viva, programa de atividades de proteção e estímulo à preservação dos bens materiais e imateriais do município, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador, que aborda a questão do patrimônio cultural em diálogo com a história, memória, arquitetura, espaço público, educação, gestão e economia da cultura. Além de manter uma pauta fixa mensal para o tema, promove a educação patrimonial, colabora no direcionamento das ações dos institutos de tombamento e registro, bem como das instâncias de salvaguarda, e instrumentaliza a política municipal para atuar na valorização da memória histórica da cidade. Ao todo, serão oito encontros em 2019.

Salvador Memória Viva
O Programa Salvador Memória Viva, da Gerência de Patrimônio Cultural da FGM, objetiva promover ações voltadas à preservação do patrimônio cultural da nossa cidade, prevendo a recuperação de monumentos públicos, reforma dos equipamentos culturais administrados pela Fundação, além da aplicação de políticas de proteção legal a bens materiais e imateriais e atividades de educação patrimonial. O programa pretende ampliar o entendimento do cidadão, acerca dos valores que conformam sua identidade, tornando-o um parceiro no processo de salvaguarda de elementos de referência da paisagem cultural e da memória local.

SERVIÇO
O que: Patrimônio É… Patrimônio Arqueológico: vestígios do passado
Quando: 16/04, às 18h
Onde: Espaço Cultural da Barroquinha
GRATUITO


maira.cortes