Peça teatral sobre o Auto da Compadecida será apresentada na UNIFACS por jovens da Boca do Rio

Peça teatral sobre o Auto da Compadecida será apresentada na UNIFACS por jovens da Boca do Rio

Por Clara Andrade e Marcele Lima

AVERA – Agência de Notícias do curso de Jornalismo da UNIFACS

A peça O Auto da Compadecida, protagonizada por crianças e adolescentes da Boca do Rio que participam do Projeto Ilha Salvador, da Fundação Ana Lima, será apresentada no Auditório do Campus Professor Barros, no dia 9 de dezembro, às 8h30. A exibição, que encerra as atividades desenvolvidas ao longo do semestre, é voltada para as famílias dos jovens e conta com o apoio de diversos professores e alunos da Universidade Salvador (UNIFACS), que contribuíram na confecção de figurinos e cenário. O projeto tem como principal objetivo desenvolver ações de arte, educação, cultura e lazer na região.

Responsável por articular a participação dos professores da Unifacs nas atividades do Ilha Salvador, a coordenadora do curso de Serviço Social, Suzana Coelho, afirma que a importância da parceria é, antes de mais nada, a possibilidade de unir a teoria à prática através da interdisciplinaridade. “Isso é viver a universidade. É a gente conseguir ter esse olhar para fora do ambiente acadêmico e ver de que forma podemos compartilhar as nossas experiências”, ressalta. “Acredito que todos os participantes, sem distinção, saem das ações se sentindo fortalecidos e empoderados”, acrescenta.

Para a realização do espetáculo, a iniciativa do estudante do curso de Psicologia da Unifacs, Paulo Prazeres, foi fundamental. Professor de teatro do projeto, ele afirma ter escolhido a narrativa O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna, pois o enredo dá espaço para a reflexão dos que estão à margem da sociedade. “A peça é importante, pois possui cunho político, representando o discurso do oprimido que tenta buscar o seu lugar no mundo”, afirma. Ele explica que a peça encenada por jovens moradores da Boca do Rio é muito representativa, pois as crianças e adolescentes que atuam são os Joões Grilo da vida. “Como a temática é nordestina, eles ocupam posição de verdadeiros desprivilegiados na sociedade capitalista”, observa.

download (3.2)

Além de Paulo Prazeres, o projeto também conta com a participação voluntária de estudantes de diversos cursos da Unifacs como Design de Moda, Serviço Social, Arquitetura, Jornalismo e Publicidade e Propaganda. Cada aluno desenvolveu atividades nas disciplinas dos professores que colaboraram com o projeto, ficando responsáveis pela produção do cenário e do figurino dos jovens atores.

Um dos estudantes de Design de Moda, Elvis Carvalho, que participa da produção dos figurinos, conta que a iniciativa se tornou parte das atividades avaliativas do curso, levando os universitários a analisarem o contexto histórico e regional dos personagens para a produção dos trajes. Segundo ele, as roupas foram confeccionadas a partir de um reaproveitamento de peças já criadas pelos próprios alunos, contudo, procuraram dar originalidade e detalhes que representassem bem os personagens.

Jovem atriz, a adolescente Rayssa Almeida, 15 anos, participa do projeto desde 2015. Ela afirma que teve um grande crescimento pessoal através da atuação no teatro. Raysa representa o personagem João Grilo em Auto da Compadecida, um dos papeis principais do espetáculo. “Inicialmente, fiquei com receio de aceitar o papel, pois nunca havia feito algo de tamanha importância. Depois que a gente começou a desenvolver o roteiro, Paulo mostrou que somos capazes”, declara. “A gente está se esforçando, cada um está dando o melhor de si e ninguém pode nos dizer que não vamos longe porque vamos sim!”, completa.

De acordo com Paula Muniz, coordenadora do projeto Ilha Salvador, assim como Rayssa Almeida, cerca de 110 crianças recebem o auxílio da fundação mediante ações do projeto Ilha Salvador, que existe desde 2014. Segundo ela, as verdadeiras transformações são fruto de um intenso trabalho em que é necessário conhecer as famílias de cada jovem para compreender as dificuldades que enfrentam e guiá-las a fim de encontrar uma superação.


Yuri Girardi